World Travel Guides


Ilhas Virgens Americanas - Attractions


St Thomas

Esta ilha em forma de lagarto tem uma história bastante turbulenta, condimentada pelas façanhas de piratas famosos. Embora seja difícil acreditar que aquele que foi em tempos o reino do Barba Negra e do lendário Barba Azul se tenha transformado no expoente dos subúrbios balneares americanos, a verdade é que um bom porto é sempre um bom porto, independentemente dos navios transportarem o produto de pilhagens, escravos ou turistas. Embora St Thomas seja excessivamente urbanizado e comercial, possui também uma grande beleza natural que se fica a dever às colinas, cujos cumes cobertos por florestas formam promontórios que separam baías e enseadas onde a água é azul-turquesa. Existem mais de quarenta praias à volta da ilha e inúmeros locais para a prática de mergulho de superfície e em profundidade.

Charlotte Amalie (assim chamada em homenagem à mulher do rei Christian V em 1691), a capital das Ilhas Virgens foi sempre um porto muito movimentado. Actualmente, e consoante a perspectiva, poderá adjectivar a cidade de "animada e agitada" se quiser ser educado, ou de "congestionada e incomodativa" se tiver acabado de ser assediado por 40 vendedores de rua insistindo consigo para a compra de um dos seus belos relógios. Embora o centro da cidade tenha sido invadido pelos passageiros dos cruzeiros e pelas lojas duty-free, o seu património dinamarquês foi preservado em grande estilo. Os armazéns impecavelmente pintados em tons de pastel, o forte de cor ocre e as tabuletas das ruas com inscrições em inglês e dinamarquês demonstram inequivocamente que não se encontra num centro comercial. O melhor local para apreciar a miscelânea de cores da folhagem tropical, as casas com telhados vermelhos e a baía de um azul profundo é o Castelo do Barba Negra, situado no topo da Government Hill.

A principal atracção histórica da cidade é o Forte Christian, uma construção humilde em tons de vermelho que não parece estar preparada para defender seja o que for. Construído na década de 70 do século XVII, o edifício desempenhava simultaneamente as funções de posto de defesa, sede do governo, igreja e centro recreativo. Quando a ameaça da invasão se desvaneceu, o forte foi transformado numa prisão e, desde 1987, é um museu com exposições sobre a riqueza natural da região (incluindo plantas medicinais e aves) e obras de arte.

Uma parte do embaraçoso passado da ilha é recordado pela Praça do Mercado, situada no extremo oposto de Charlotte Amalie. Hoje em dia, esta praça coberta alberga o mercado local mas, em tempos, foi o mais movimentado posto de venda de escravos das Caraíbas. Nas proximidades, encontra-se a Sinagoga Beracha Veshalom Vegimulth Hasidim, construída pelos judeus sefarditas que fugiram à Inquisição espanhola. De entre as sinagogas norte-americanas que nunca deixaram de funcionar, esta é a mais antiga.

Entre as outras atracções da ilha encontra-se a vista panorâmica das Ilhas Virgens a partir do Drake's Seat, um ponto bastante elevado no centro da ilha, aparentemente escolhido pelo próprio Sir Francis para observar os combates navais. Os verdadeiros apreciadores de praia não devem deixar de passar algum tempo em Magens Bay situada no centro da margem norte. Aqueles que anseiam por um pouco de paz e privacidade poderão visitar os quase desertos ilhéus da Ilha Hassel e de Great St James.

Mountain Top, no topo da Montanha de St Peter, encontra-se a uma altitude superior à de Drake's Seat, mas o facto de estar rodeado por florestas faz com que a vista seja melhor de um ponto mais baixo. No entanto, quando não é invadido pelas excursões de autocarro, não deixa de ser um local tranquilo, com um agradável bar por detrás do parque de estacionamento. Os habitantes locais afirmam que o daiquiri de banana foi inventado neste bar num momento de ócio. Se isto for verdade, o bar tem muitas culpas no cartório!

St John

No século XIX, St John estava repleto de açúcar e rum e os navios mercantes enchiam Coral e Cruz Bay. Porém, quando o empresário americano Laurence Rockefeller passou pela ilha na década de 50, a agitação já tinha cessado. Rockefeller apaixonou-se pelas paradisíacas praias de areia branca e paisagens espectaculares de St John e fez o que qualquer um de nós faria: comprou metade da ilha, construiu um complexo turístico e um parque de campismo privativos no local de uma antiga plantação de açúcar e doou os restantes 2000 ha ao governo. Hoje em dia, dois terços do território de St John encontram-se protegidos pelo Parque Nacional das Ilhas Virgens.

Em virtude da existência do parque nacional, St John permaneceu uma ilha tranquila, coberta por densas florestas. Existem excursões guiadas ao interior da floresta, sob a orientação de guardas-florestais que possuem um vasto conhecimento sobre a flora e fauna local (que inclui mangustos e burros selvagens) e mais de vinte trilhos que poderá explorar pelos seus próprios meios. Uma das melhores caminhadas é através do Bordeaux Mountain Trail, que termina no topo da maior montanha da ilha, com 383 m de altitude. Camelberg e Mamey, outros dois picos, são sinónimo de caminhadas extenuantes e vistas compensadoras. A caminhada até à Plantação Annaberg inclui a visita às ruínas de uma plantação do século XVIII parcialmente restaurada e de uma refinaria de açúcar. O parque nacional também abrange as praias e os recifes de coral que o rodeiam, pelo que poderá encontrar locais excelentes para a prática de mergulho de superfície e uma interessante vida marinha, especialmente na popular rota de mergulho de superfície junto à bela Trunk Bay, mas também em Reef Bay, Honeymoon Beach e Salt Pond Bay.

O desenvolvimento urbano em St John foi restringido à modesta Cruz Bay, onde se encontram os restaurantes e os bares e à recatada Coral Bay, uma baía minúscula. Existem ferries que estabelecem a ligação de Cruz Bay a Red Hook e Charlotte Amalie em St Thomas; aos fins-de-semana, existe um ferry com destino a Fajardo, em Porto Rico.

St Croix

Não se encontrando tão desenvolvida quanto a agitada ilha de St Thomas, St Croix é o local ideal para abrandar um pouco, descansar em praias isoladas e beber um copo com os habitantes que não estão ligados ao sector turístico. A maior das Ilhas Virgens é composta por colinas cobertas de florestas, planícies férteis e está rodeada por recifes de coral. No auge do deu desenvolvimento comercial, St Croix contava com cerca de 100 plantações de açúcar e, actualmente, ainda se podem ver plantações decadentes e as torres de pedra do seus moinhos dispersos pela paisagem.

Outrora a capital de toda a colónia dinamarquesa, Christiansted, com os seus edifícios em tons de pastel, tem sido rotulada como a mais bela cidade das Caraíbas. Em redor do seu atractivo porto, encontramos as linhas direitas de velhos armazéns dinamarqueses, um posto alfandegário, edifícios públicos e uma igreja. Alguns dos edifícios mais antigos da cidade foram construídos com o típico tijolo dinamarquês que era transportado para as Caraíbas como lastro. O Forte Christiansted, situado no extremo oriental da cidade, proporciona uma vista espectacular do porto e da povoação do alto das suas muralhas repletas de canhões. Construído em 1749 com o objectivo de defender a cidade dos piratas e de escravos rebeldes, o forte foi transformado num posto policial em 1878. Christiansted possui ainda um extraordinário aquarium com uma característica muito especial: de tempos a tempos, o aquário devolve os seus habitantes ao mar, substituindo-os por outros, mantendo-os assim felizes e contentes.

Em St Croix, os melhores locais para mergulhar encontram-se ao longo da margem norte e as melhores caminhadas são proporcionadas pelas florestas das colinas situadas no extremo noroeste da ilha. À medida que se avança para sudoeste, a floresta dá lugar a salinas e a mangues. Sandy Point, no extremo sudoeste da ilha, é um dos dois únicos locais nas Caraíbas onde as tartarugas-de-couro depositam os seus ovos. Se quiser comemorar o facto destas enormes criaturas terem sobrevivido até aos nossos dias, poderá participar numa das visitas guiadas organizadas pela Destilaria de Rum Cruzan, situada na vizinha cidade de Frederiksted, que também oferece provas de rum gratuitas. Frederiksted é uma cidade tão encantadora quanto Christiansted, mas como a sua vida se desenvolve à volta das lojas duty free, transforma-se num lugar morto quando os turistas se vão embora.

Buck Island

A 3 km ao largo da margem nordeste de St Croix, a deserta Buck Island é um dos melhores destinos de excursões dentro das Ilhas Virgens. Toda a ilha (embora seja muito pequena) e os recifes de coral que se encontram à sua volta foram classificados como reserva natural, o que significa que só terá que a partilhar com aqueles que se derem ao trabalho de apanhar um barco em Christiansted, levando o seu próprio farnel. Entre as atracções desta pequena ilha encontram-se uma praia excelente, corais elkhorn espectaculares e uma rota subaquática para mergulho de superfície que lhe dará a conhecer a riquíssima vida marinha da região.

Coki Bay

Este maravilhoso local não constituirá propriamente um local solitário, mas nada mais justo do que partilhar tanta beleza. Nesta baía aninhada na margem nordeste de St Thomas, a água é de um azul cintilante, a praia deslumbrante e os peixes tão sociáveis que até lhe vêm comer à mão. Embora seja um óptimo local para praticar mergulho de superfície, não perde nada em limitar-se a beber um batido de frutas preparado por Tommy, um verdadeiro especialista, e ficar a relaxar na sua espreguiçadeira o dia inteiro.

A pouca distância, encontra-se o Mundo dos Corais, um aquário muito educativo mas também muito movimentado. No seu tanque com uma capacidade de cerca de 360 l, poderá ver de perto tubarões, enguias, raias-lixa e outros peixes sem ser salpicado por uma única gota de água.



Hosting by: Linux Hosting
Travel Guides | Guides Site Map | Indian restaurant | Daily deals
© WorldGuides 2019. All Rights Reserved!